IPCA-15

O IPCA-15, Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15, de outubro foi de +0,16%. Em setembro, o índice ficou em -0,37%.

No ano, o IPCA-15 acumula alta de 4,80% e, em 12 meses, de +6,85%. Em outubro de 2021, a taxa foi de +1,20%.

Três dos nove grupos do IPCA-15 tiveram queda de preços em outubro. As quedas foram em Transportes, -0,64%, Comunicação, -0,42%, e Artigos de residência, -0,35%. No lado das altas, as maiores variações vieram de Vestuário, +1,43%, e Saúde e cuidados pessoais, +0,80%.

A queda do grupo Transportes deve-se ao recuo no preço dos Combustíveis, -6,14%, com Etanol, -9,47%, Gasolina, -5,92%, Óleo diesel, -3,52%, e Gás veicular, -1,33%. Mas houve alta nas Passagens aéreas, +28,17%.

Em Comunicação, o resultado foi influenciado pela redução nos pacotes de Acesso à internet, -1,69%, e nos planos de Telefonia móvel, -1,35%.

No grupo Vestuário, os preços subiram nos Calçados e acessórios, +1,82%, das Roupas infantis, +1,71%, Roupas masculinas, +1,54%, Joias e bijuterias, +1,00%, e Roupas femininas, +0,98%.

Em Saúde e cuidados pessoais, o destaque foi a alta no item Plano de saúde, +1,44%. Além disso, os preços dos itens de Higiene pessoal subiram 1,10%.

O grupo Alimentação e bebidas registrou alta de 0,21% em outubro. O resultado foi puxado pela Alimentação no domicílio, +0,14%, com a alta da Batata-inglesa, +20,11%, do Tomate, +6,25%, e da Cebola, +5,86%, e das Frutas, +4,61%. Baixa nos preços do Leite longa vida, -9,91%, do Óleo de soja, -3,71%, e das Carnes, -0,56%.

Nove das onze regiões pesquisadas tiveram variações positivas em outubro. A maior alta ocorreu em Brasília e Goiânia, +0,56%, e a maior baixa foi registrada em Curitiba, -0,24%.

A pesquisa foi realizada e divulgada pelo IBGE.

Publicado por Panizo

Estudioso do Mercado Financeiro e Investimentos. Em curso de Assessor Autônomo de Investimentos.

%d blogueiros gostam disto: