IPCA – Inflação

O IPCA, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, de março teve alta de 1,62%, acima da taxa de 1,01% de fevereiro. Essa é a maior variação para um mês de março desde 1994, quando o índice foi de +42,75%, no período que antecedeu a implementação do Real. No ano, o IPCA acumula alta de 3,20% e, nos últimos 12 meses de +11,30%. Em março de 2021, a variação mensal foi +0,93%.

Destaque para os Transportes, +3,02%. Seguido por Alimentação e bebidas, com alta de 2,42%, Vestuário, +1,82%, Habitação, +1,15%, e Saúde e cuidados pessoais, +0,88%. O único com queda foi Comunicação, com -0,05%.

O resultado do grupo Transportes foi influenciado, principalmente, pela alta nos preços dos Combustíveis, +6,70%, com o Óleo diesel, +13,65%, Gasolina, +6,95%, Gás veicular, +5,29%, e Etanol, +3,02%. Além do Transporte por aplicativo, +7,98%, o Seguro de veículo, +3,93%, e o Conserto de automóvel, +1,47%. Nos Transportes públicos, o Ônibus urbano subiu 1,27%. Mas tivemos queda nas Passagens aéreas, com -7,33%.

Em Alimentação e bebidas, as altas foram nos preços dos Alimentos para consumo no domicílio, +3,09%, com a Cenoura, +31,47%, o Tomate, +27,22%, Leite longa vida, +9,34%, o Óleo de soja, +8,99%, as Frutas, +6,39%, e o Pão francês, +2,97%.

Todas as regiões pesquisadas tiveram alta em março. A maior variação ocorreu na região metropolitana de Curitiba, +2,40%, e a menor variação foi registrada no município de Rio Branco, com +1,35%.

O INPC, Índice Nacional de Preços ao Consumidor, teve alta de 1,71% em março. O INPC acumula alta de 3,42% no ano e +11,73% nos últimos 12 meses. Em março de 2021, a taxa foi de +0,86%.

Esta pesquisa foi realizada e divulgada pelo IBGE.

Publicado por Panizo

Estudioso do Mercado Financeiro e Investimentos. Em curso de Assessor Autônomo de Investimentos.

%d blogueiros gostam disto: