IPCA-15

O IPCA-15, Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, foi de +0,99% em fevereiro, acima da taxa registrada em janeiro, que foi de +0,58%. Foi a maior variação para um mês de fevereiro desde 2016. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 1,58% e, em 12 meses, de +10,76%. Em fevereiro de 2021, a taxa foi de +0,48%.

Oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados apresentaram alta. A exceção foi Saúde e cuidados pessoais, cujos preços recuaram 0,02%. A maior variação foi do grupo Educação, +5,64%. Na sequência, vieram Alimentação e bebidas, +1,20%, e Transportes, que subiu 0,87%.

Em Educação, a maior contribuição veio de Cursos regulares, +6,69%. As maiores variações vieram do Ensino fundamental +8,03%, Pré-escola +7,55%, Ensino médio +7,46%, Creche +6,47% e Ensino superior +5,90%.

No grupo Alimentação e bebidas, a Alimentação no domicílio passou para +1,49% em fevereiro. Os maiores impactos vieram da Cenoura, +49,31%, da Batata-inglesa +20,15%, do Café moído +2,71%, das Frutas +1,75%, e das Carnes +1,11%. Mas, houve queda nos preços do Frango inteiro, -1,97%, Arroz -1,60% e do Frango em pedaços -1,31%.

O grupo dos Transportes subiu principalmente por conta das altas dos Veículos próprios +2,01%: com Automóveis novos +2,64%, Motocicletas +2,19% e Automóveis usados +2,10%. Os Combustíveis registraram estabilidade em fevereiro: com o Óleo diesel +3,78% e a Gasolina +0,15%, mas Etanol -1,98% e Gás veicular -0,36% registraram queda.

São Paulo apresentou a maior alta, com +1,20%, e Porto Alegre foi a única que caiu, com -0,11%.

A pesquisa foi realizada e divulgada pelo IBGE.

Publicado por Panizo

Estudioso do Mercado Financeiro e Investimentos. Em curso de Assessor Autônomo de Investimentos.

%d blogueiros gostam disto: