Vendas no Varejo

O volume de vendas do comércio varejista cresceu 0,6% em novembro de 2021, na série com ajuste sazonal. Na série sem ajuste, o comércio varejista teve queda de 4,2% comparado a novembro de 2020. No acumulado no ano, o varejo aumentou 1,9%. O acumulado nos últimos doze meses foi de +1,9% em novembro.

No comércio varejista ampliado, que inclui veículos, motos, partes e peças e material de construção, o volume de vendas avançou 0,5% em relação a outubro.

Cinco das oito atividades tiveram quedas: Móveis e eletrodomésticos, -2,3%, Tecidos, vestuário e calçados, -1,9%, Combustíveis e lubrificantes, -1,4%, Livros, jornais, revistas e papelaria, -1,4%, e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, -0,1%.

Houve crescimento em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, +0,9%, Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, +1,2% e Outros artigos de uso pessoal e doméstico, com +2,2%.

No comércio varejista ampliado, a alta de 0,5% no volume de vendas, em novembro, foi influenciada por Veículos, motos, partes e peças, +0,7% e material de construção, +0,8%, depois dos resultados negativos do mês anterior.

Os resultados foram negativos em 14 dos 27 estados. As quedas mais intensas foram na Paraíba, -3,1%, Piauí -3,0, e Bahia -2,8%. Os destaque de alta foram Roraima, +3,7%, Rio de Janeiro +2,8%, e Distrito Federal +2,7%.

No comércio varejista ampliado, as taxas negativas mais intensas foram da Paraíba, -6,8%, Tocantins -6,1%, e Alagoas -5,1%. Onde as vendas cresceram, destaque para Rio de Janeiro, +2,1%, Amazonas 1,9%, e Rondônia +1,7%. O Amapá ficou estável.

A pesquisa foi realizada e divulgada pelo IBGE.

Publicado por Panizo

Estudioso do Mercado Financeiro e Investimentos. Em curso de Assessor Autônomo de Investimentos.

%d blogueiros gostam disto: