IGP-M

O IGP-M, Índice Geral de Preços – Mercado, normalmente associado ao preço dos aluguéis, subiu 0,64% em outubro, após queda de 0,64% no mês anterior. Assim, o índice acumula alta de 16,74% no ano e de 21,73% em 12 meses. Em outubro de 2020, o índice havia subido 3,23%.   

O IPA, Índice de Preços ao Produtor Amplo, subiu 0,53% em outubro, após queda de 1,21% em setembro. A taxa do grupo Bens Finais variou +1,08% em outubro. No mês anterior, a taxa do grupo subiu 1,62%. Principalmente devido aos Alimentos processados, cuja taxa passou de +1,83% para +0,92%, no mesmo período. O grupo Bens Finais (ex), que exclui os Alimentos in natura e Combustíveis para o consumo, variou +0,91% em outubro, ante +1,31% no mês anterior.

A taxa do grupo Bens Intermediários subiu de +1,66% em setembro para +2,65% em outubro. O principal responsável foram Combustíveis e lubrificantes para a produção, cujo percentual passou de +0,02% para +5,29%. O índice de Bens Intermediários (ex), excluindo Combustíveis e lubrificantes para a produção, subiu 2,25% em outubro, contra +1,91% em setembro.

As Matérias-Primas Brutas passaram de -5,74% em setembro para -1,87% em outubro. Destaques: Minério de ferro, de -21,74% para -8,47%, Suínos, de -4,49% para +8,34%, e Cana-de-açúcar, de +1,43% para +2,93%. Positivo, foram os itens bovinos, de -1,55% para -5,92%, Milho em grão, de -3,18% para -4,52%, e Aves, de +2,55% para +0,61%.

O IPC, Índice de Preços ao Consumidor, variou +1,05% em outubro, ante +1,19% em setembro. Principal contribuição partiu do grupo Habitação, de +2,00% para +1,04%. Sendo que, a Tarifa de eletricidade residencial passou de +5,75% em setembro para +2,90% em outubro. Também apresentaram decréscimo em suas taxas os grupos Transportes, de +1,31% para +1,07%, e Saúde e Cuidados Pessoais, de +0,38% para +0,22%.

Pioraram, os grupos Educação, Leitura e Recreação, de +1,85% para +2,93%, Vestuário, de +0,31% para +0,65%, Alimentação, de +1,10% para +1,21%, Comunicação, de +0,21% para +0,40%, e Despesas Diversas, de +0,28% para +0,29%. Destacam-se os seguintes itens: Passagem aérea, de +16,22% para +22,84%, Calçados, de +0,36% para +1,15%, Hortaliças e legumes, de +1,57% para +8,28%, Telefone residencial, de +0,13% para +3,91%, e Cigarros, de +0,48% para +1,13%.

O INCC, Índice Nacional de Custo da Construção, subiu 0,80% em outubro, ante +0,56% em setembro. Com Materiais e Equipamentos, passando de +0,89% para +1,68%, Serviços, de +0,56% para +0,36%, e Mão de Obra, de +0,27% para +0,10%.

A pesquisa foi realizada e divulgada pela FGV.

Publicado por Luis Panizo

Estudioso em investimentos gerais e economia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: