IGP-10, IPA e INCC

O IGP-10, Índice Geral de Preços – 10, caiu 0,37% em setembro. No mês anterior, o índice havia subido 1,18%. O índice acumula alta de 16,44% no ano e de +26,84% em 12 meses. Em setembro de 2020, o índice subira 4,34% no mês.

Os produtos que mais subiram foram o Café, com +13,51%, Açúcar, +8,75%, e Tarifa de energia, +3,06%, refletindo os efeitos da estiagem sobre os preços dos alimentos e da energia. A taxa negativa foi o do preço do minério de ferro, que caiu 22,17%.

O IPA, Índice de Preços ao Produtor Amplo, caiu 0,76% em setembro. Em agosto, o índice havia registrado alta de 1,29%. Os preços dos Bens Finais subiram de 1,60% em agosto para 2,13% em setembro. Destaque para Alimentos processados, que passou de +0,59% para +2,61%. O índice relativo a Bens Finais ex, que exclui os Alimentos in natura e Combustíveis para o consumo, subiu 1,66% em setembro. No mês anterior, a taxa havia sido +0,97%.

A taxa do grupo Bens Intermediários passou de +1,93% em agosto para +1,83% em setembro. Destaque para Combustíveis e Lubrificantes para a produção, que passou de +3,72% para +0,14%. O índice de Bens Intermediários ex, que exclui os Combustíveis e Lubrificantes para a produção, subiu 2,09% em setembro, ante +1,65% no mês anterior.

O índice do grupo Matérias-Primas Brutas passou de +0,55% em agosto para -5,01% em setembro. Destaques para Minério de ferro, de -7,23% para -22,17%, Milho em grão, de +10,03% para +0,52%, e Soja em grão, de +6,79% para +2,47%. Mas subiram Arroz com casca, de +0,45% para +5,31%, Laranja, de +5,63% para +9,90%, e Algodão com caroço, de +1,28% para +3,28%.

O IPC, Índice de Preços ao Consumidor, subiu 0,93% em setembro. Em agosto, o índice havia subido 0,88%. Subiram Educação, Leitura e Recreação, de +0,51% para +1,34%, Comunicação, de -0,13% para +0,12%, Transportes, de +0,93% para +0,97%, Despesas Diversas, +0,10% para +0,29%, Saúde e Cuidados Pessoais, +0,45% para +0,50%, e Vestuário, de +0,17% para +0,18%. Caíram Habitação, de +1,56% para +1,33%, e Alimentação, de +1,13% para +1,05%.

O INCC, Índice Nacional de Custo da Construção, caiu 0,43% em setembro. Em agosto, a taxa subira 0,79%. Tivemos Materiais e Equipamentos, passando de +1,44% para +0,82%, Serviços, de +0,77% para +0,49%, e Mão de Obra, de +0,24% para +0,08%.

As pesquisas foram realizadas e divulgadas pela FGV.

Publicado por Luis Panizo

Estudioso em investimentos gerais e economia.

%d blogueiros gostam disto: